Instrumentum Laboris para a III Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos

Instrumentum Laboris para a III Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos

 

instrumentum-laboris

Está disponível para leitura, no site do Vaticano, o Instrumentum Laboris para a III Assembleia Extraordinária do Sínodo dos Bispos que acontecerá de 05 e 19 de outubro de 2014.

Para acessar, basta clicar no link abaixo.

http://www.vatican.va/roman_curia/synod/documents/rc_synod_doc_20140626_instrumentum-laboris-familia_po.html

Dom Raymundo Damasceno, presidente da CNBB, estará na presidência da assembleia que tem como tema OS DESAFIOS PASTORAIS DA FAMÍLIA NO CONTEXTO DA EVANGELIZAÇÃO. Em 2015 acontecerá a Assembleia Ordinária do Sínodo, que então finalizará o tema.

É importante que todas as coordenações da Pastoral Familiar do Regional Sul-1 acessem e leiam o conteúdo, que traz pistas para a reflexão sobre como a Nova Evangelização está chegando à família, célula básica da sociedade.

O documento está dividido em 3 partes: (1) Comunicar o Evangelho da Família Hoje; (2) A Pastoral da Família face aos novos desafios; e (3) A Abertura à vida e à responsabilidade educativa. Em cada uma delas o documento faz análises da situação atual e faz questionamentos diante a difusão da Palavra de Deus nos lares, fala sobre a vivência da fé, o conhecimento das famílias sobre o Magistério da Igreja, a necessidade de sacerdotes e ministros preparados para ajudar a família, entre outras.

O Instrumentum Laboris ainda não dá respostas às questões. Ele é o resultado da análise do documento preliminar divulgado no final de 2013 e respondido por toda a Igreja.

Não se assustem com a expressão \”Pastoral da Família\” expressa no documento, pois o termo Pastoral Familiar é de uso no Brasil, enquanto que no restante do mundo o termo continua sendo Pastoral da Família, o que não muda o sentido do trabalho.

 

Acesse e vote \”SIM\”

\"Votação\"

É só uma enquete? Sim. Mas tenha em mente que as enquetes também servem como termômetro para colher a opinião da maioria. A pergunta é:

\”Você concorda com a definição de família como núcleo formado a partir da união entre homem e mulher, prevista no projeto que cria o Estatuto da Família?\”

Claro que, sem discriminar quem não tem uma família formada por pai + mãe + filhos, o modelo de família ainda é esse. Ninguém deseja, no fundo de seu coração, ser família incompleta ou diferente do modelo. Existem realidades familiares que precisam ser acolhidas e trabalhadas pela sociedade, pelas escolas, pelos meios de comunicação etc., mas a existência das diversas realidades familiares não extingue ou acaba com a definição de família tal e qual existe há milênios.

Precisamos distinguir bem as coisas. Não é porque a definição de modelo de família como sendo pai + mãe + filhos está em um estatuto que as realidades familiares serão discriminadas ou deixarão de existir. É preciso ter referência e ela é o modelo. Acesse e vote no \”sim\”. Na imagem uma parcial de hoje, 29/04/2014, às 14h, onde o sim ganha, mas é preciso continuar votando \”SIM\”.

O link:
http://www2.camara.leg.br/agencia-app/votarEnquete/enquete/101CE64E-8EC3-436C-BB4A-457EBC94DF4E

Feliz Páscoa!

\"Feliz

 

\”O anjo disse às mulheres: \’Não tenham medo! Porque eu sei que estão procurando Jesus, o Crucificado. Ele não está aqui, pois ressuscitou, como havia dito. Venham ver o lugar onde ele estava. E vão depressa dizer aos seus discípulos: Ele ressuscitou dos mortos! Eis que ele caminha à frente de vocês para a Galileia. Aí vocês o verão. É o que tenho a lhes dizer.\”

(Mt 28,5-7)

Nova coordenação nacional da Pastoral Familiar

\"Da

Conforme noticiado pelo site da Comissão Nacional da Pastoral Familiar – CNPF, ocorreu a 38ª Assembleia Nacional da Pastoral Familiar, em Brasília, nos dias 28, 29 e 30/mai/2014. Um dos pontos da pauta do evento foi a eleição da nova coordenação nacional.

Publicamos abaixo a notícia do site da CNPF sobre os novos coordenadores, Verônica Melz e Roque Rhoden, e os vices reeleitos, Marivone e Volnei Exterkoetter.

 

O casal Roque Rhoden e Verônica Melz, do regional Oeste 2, assume a coordenação nacional da Pastoral Familiar, e Marivone e Volnei Exterkoetter, do regional Sul 4, foram reeleitos vice-coordenadores, para o quadriênio 2014-2017. A eleição ocorreu durante a 38º Assembleia Ordinária da Pastoral Familiar, realizada entre os dias 28 e 30 de março, em Brasília.

O bispo de Camaçari (BA) e presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB, dom João Carlos Petrini, disse esperar que \”a Pastoral Familiar continue essa caminhada de crescimento e presença capilar em todas as dioceses\”. Segundo dom Petrini, \”a pastoral tem levado às regiões mais afastadas do Brasil a luz de Cristo sobre a família”.

De acordo com o assessor da Comissão Episcopal para a Vida e a Família e secretário executivo da Pastoral Familiar, padre Rafael Fornasier, a coordenação nacional eleita tem bastante trabalho pela frente. O assessor explica que a Comissão está em sintonia com os preparativos do Sínodo Extraordinário sobre a Família. “Estamos em sintonia com a Igreja na busca de caminhos abertos e novos para o serviço a família no Brasil por meio das atividades da Pastoral Familiar”, disse padre Rafael.

Na foto, os membros da Comissão Vida e Família e da Comissão Nacional da Pastoral Familiar: Roque e Verônica (coordenadores), Marivone e Volnei (vice-coordenadores), dom João Carlos Petrini (presidente), dom Antônio Augusto (membro), padre Rafael Fornasier (assessor) e dom Marcos Piatek (membro).

 

6a Peregrinação Nacional da Família e 4o Simpósio em Aparecida

\"Cartaz

Iniciada em 2009 com o nome de Peregrinação Nacional em Favor da Família, a reunião de fiéis em Aparecida (SP) para refletir e rezar pelas famílias do Brasil e do mundo, chega à sua sexta edição. Naquele já longínquo ano não tivemos um simpósio, mas uma catequese familiar conduzida por dom João Carlos Petrini, na época um dos conselheiros da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família, hoje presidente da mesma. Tudo começou no XII Congresso Nacional da Pastoral Familiar realizado no Rio de Janeiro, em 2008, quando dom Orlando Brandes, arcebispo de Londrina e então presidente da Comissão, anunciou um evento que mostraria a presença e a força da família brasileira, em um encontro que, com o tempo, viria a tornar-se uma tradição. A motivação do prelado era o Dia Internacional da Família, criado pela ONU em 1994, e comemorado no dia 15 de maio.

Na primeira edição tivemos cerca de 20 mil pessoas que se somaram aos fiéis que sempre estão presentes no Santuário Nacional, alcançando juntos a marca de 120 mil pessoas em visita à Aparecida naquele domingo, há cinco anos atrás.

Ano após ano, a peregrinação foi assumindo formas quase diferentes para reunir não somente a Pastoral Familiar, mas todos os movimentos, associações, serviços e demais grupos da Igreja Católica e da sociedade ligados à família e ao resgate de seus valores básicos – fé, educação cristã e verdadeiramente cidadã, fraternidade, solidariedade, caridade, justiça, paz, entre outros – e a defesa da vida que tem na família seu berço mais adequado e sua defesa mais legítima.

Neste ano de 2014, mais uma vez a Comissão Nacional da Pastoral Familiar organiza o encontro de fé e de formação – uma catequese para a família – com o tema “Família: caminhar com a luz de Cristo e a sabedoria do Evangelho”.

Dom Petrini disse ao site da CNBB que a Peregrinação “É um momento muito importante, não somente para rezar e apresentar as necessidades das nossas famílias à Virgem Maria, mas também para refletir e aprofundar sobre a nossa caminhada e perceber como a luz de Cristo pode iluminar a nossa realidade cotidiana de vida em família”. Ele ainda destacou que acredita, diante dos desafios da vida em família, “ser uma ilusão viver sem Deus”.

Com o tema deste ano, a CEPVF e a CNPF desejam levar aos participantes uma reflexão sobre a vivência da espiritualidade em família, tendo como referências a luz de Cristo e o Evangelho. “Não podemos viver somente com aquilo que nos oferecem. Precisamos de um ponto de referência maior, para sermos permanentemente alimentados na capacidade de amor, de doação e serviço recíproco no interior da família e na sociedade”, enfatiza dom Petrini.

Entre os conferencistas convidados estão o bispo de Palmas-Francisco Beltrão (PR) e doutor em Ciências Bíblicas, dom José Antônio Peruzzo. Ele falará sobre a espiritualidade da família. Foi convidada também a poetisa Adélia Prado, que dará seu testemunho sobre a vida em família.

Como nos anos anteriores, teremos uma missa televisionada pela TV Aparecida no domingo, 25/mai. Será a celebração das 8h, no Santuário Nacional. Está prevista também a apresentação da orquestra de jovens do Santuário durante o 4º simpósio.

Carta do papa Francisco às Famílias

\"(Foto:

Queridas famílias,

 

Apresento-me à porta da vossa casa para vos falar de um acontecimento que vai realizar-se, como é sabido, no próximo mês de Outubro, no Vaticano: trata-se da Assembleia geral extraordinária do Sínodo dos Bispos, convocada para discutir o tema «Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização». Efetivamente, hoje, a Igreja é chamada a anunciar o Evangelho, enfrentando também as novas urgências pastorais que dizem respeito à família.

Este importante encontro envolve todo o Povo de Deus: Bispos, sacerdotes, pessoas consagradas e fiéis leigos das Igrejas particulares do mundo inteiro, que participam ativamente, na sua preparação, com sugestões concretas e com a ajuda indispensável da oração. O apoio da oração é muito necessário e significativo, especialmente da vossa parte, queridas famílias; na verdade, esta Assembleia sinodal é dedicada de modo especial a vós, à vossa vocação e missão na Igreja e na sociedade, aos problemas do matrimônio, da vida familiar, da educação dos filhos, e ao papel das famílias na missão da Igreja. Por isso, peço-vos para invocardes intensamente o Espírito Santo, a fim de que ilumine os Padres sinodais e os guie na sua exigente tarefa. Como sabeis, a esta Assembleia sinodal extraordinária, seguir-se-á – um ano depois – a Assembleia ordinária, que desenvolverá o mesmo tema da família. E, neste mesmo contexto, realizar-se-á o Encontro Mundial das Famílias, na cidade de Filadélfia, em Setembro de 2015. Por isso, unamo-nos todos em oração para que a Igreja realize, através destes acontecimentos, um verdadeiro caminho de discernimento e adote os meios pastorais adequados para ajudarem as famílias a enfrentar os desafios atuais com a luz e a força que provêm do Evangelho.

Estou a escrever-vos esta carta no dia em que se celebra a festa da Apresentação de Jesus no templo. O evangelista Lucas conta que Nossa Senhora e São José, de acordo com a Lei de Moisés, levaram o Menino ao templo para oferecê-Lo ao Senhor e, nessa ocasião, duas pessoas idosas – Simeão e Ana –, movidas pelo Espírito Santo, foram ter com eles e reconheceram em Jesus o Messias (cf. Lc 2, 22-38). Simeão tomou-O nos braços e agradeceu a Deus, porque tinha finalmente «visto» a salvação; Ana, apesar da sua idade avançada, encheu-se de novo vigor e pôs-se a falar a todos do Menino. É uma imagem bela: um casal de pais jovens e duas pessoas idosas, reunidos devido a Jesus. Verdadeiramente Jesus faz com que as gerações se encontrem e unam! Ele é a fonte inesgotável daquele amor que vence todo o isolamento, toda a solidão, toda a tristeza. No vosso caminho familiar, partilhais tantos momentos belos: as refeições, o descanso, o trabalho em casa, a diversão, a oração, as viagens e as peregrinações, as acções de solidariedade… Todavia, se falta o amor, falta a alegria; e Jesus é quem nos dá o amor autêntico: oferece-nos a sua Palavra, que ilumina a nossa estrada; dá-nos o Pão de vida, que sustenta a labuta diária do nosso caminho.

Queridas famílias, a vossa oração pelo Sínodo dos Bispos será um tesouro precioso que enriquecerá a Igreja. Eu vo-la agradeço e peço que rezeis também por mim, para que possa servir o Povo de Deus na verdade e na caridade. A protecção da Bem-Aventurada Virgem Maria e de São José acompanhe sempre a todos vós e vos ajude a caminhar unidos no amor e no serviço recíproco. De coração invoco sobre cada família a bênção do Senhor.

 

Vaticano, 2 de Fevereiro – festa da Apresentação do Senhor – de 2014.

Dom Raymundo Damasceno estará na presidência do Sínodo Extraordinário

Na manhã de hoje, 21/fev/2014, pe. Frederico Lombardi, diretor da Sala de Imprensa do Vaticano, anunciou que o papa Francisco nomeou os três cardeais que presidirão o Sínodo Extraordinário dos Bispos, que acontecerá entre 5 e 19/out/2014.

São eles: o Arcebispo de Aparecida e Presidente da CNBB, Cardeal Raymundo Damasceno Assis; o Arcebispo de Paris, Cardeal André Vingt-Trois, e o Arcebispo de Manila, Cardeal Luis Antonio Tagle.

O tema do Sínodo extraordinário será \”Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização\”.

Ontem, no discurso de abertura do Consistório Extraordinário, o Papa afirmou que serão aprofundadas “a teologia da família e a pastoral que devemos implementar nas condições atuais. Façamo-lo com profundidade e sem cairmos na casística”. E advertiu ainda: “porque decairia, inevitavelmente, o nível do nosso trabalho. Hoje, a família é desprezada, é maltratada, pelo que nos é pedido para reconhecermos como é belo, verdadeiro e bom formar uma família, ser família hoje; reconhecermos como isso é indispensável para a vida do mundo, para o futuro da humanidade”.

Fonte: site da Rádio Vaticano, em Português.